I Congreso ISKO España-Portugal.  —  XI Congreso ISKO-España. Porto (Portugal), 7 a 9 de noviembre de 2013.

Ribeiro, Fernanda, Cerveira, Maria Elisa. Informaçâo e/ou conhecimento: as duas faces de Jano. Atas del I Congreso ISKO Espanha e Portugal  —  XI Congreso ISKO España. Porto, Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Cetac.Media, 2013.

Más información en la web del congreso

Ponencias

  1. Sofia Miguens. Filosofia da mente e ciência da informaçâo.
  2. Armando Malheiro da Silva. As Ciências da comunicação e informaçâo e a gestâo da informação / conhecimento.

Fundamentos, modelos e métodos para a organização e representação da informação

  1. María del Carmen Agustín Lacruz, Raquel Gómez Díaz, José Antonio Salvador Oliván. Competencias para el análisis, la representación, la organización y la recuperación de la información en los grados de Información y Documentación en España.
  2. Ana Cristina de Albuquerque, Telma Campaha de Carvalho Madio. Classificação e fotografia.
  3. Carlos Cândido de Almeida. Notas sobre los conceitos semióticos fundamentais à organização do conhecimento.
  4. Laffayete Alvares Júnior, Gustavo Silva Saldanha. O mundo é o assunto: epistemologia da indexação no século XIX.
  5. María-José Baños-Moreno, Juan-Antonio Pastor-Sánchez, Rodrigo Martínez-Béjar. Propuesta de actualización de macro-tesauros a partir de noticias de divulgación científico-tecnológica.
  6. Thiago Henrique Bragato Barros. Perspectivas de renovação em classificação arquivistica: novos olhares velhos métodos.
  7. Jorge Caldera-Serrano. Colecciones audiovisuales on line en España y Portugal. Fuentes para el film research.
  8. Maria Luiza de Almeida Campos. Ontologia de fundamentação como um modelo teórico para a representação de domínios: desafios para a formação de profissionais de informação.
  9. Gilberto Gomes Cândido, João Batista Ernesto de Moraes. Análise documenta de conteúdo de artigo científico: a utilização do percurso gerativo de sentido para identificação da temática.
  10. G. Cantos Mateos, M. A. Zulueta, Benjamín Vargas-Quesada, Z. Chinchilla-Rodríguez. Estudio comparativo sobre la visualización de redes de co-words a través de los descriptores del Science citation index y de Medline.
  11. Paula Regina Dal’Evedove, Carlos Cândido de Almeida, Mariângela Spotti Lopes Fujita. A interpretação de conceitos no processo de indexação: aspectos e reflexões semióticas.
  12. Laila Figueiredo di Pietro. Organização e representação da informação em documentos de preservação da memória social: o acervo do Museo de la Memoria y Derechos Humanos do Chile.
  13. Gilberto L. Fernandes, Mamede Lima-Marques. Considerações sobre a abrangência disciplinar da ciência da informação: fundamentos, modelos e métodos para a organização e representação da informação.
  14. Isidoro Gil-Leiva, Mariângela Spotti Lopes Fujita, Pedro Díaz-Ortuño. Elaboración de índices para libros: perspectivas de actuación y formación profesional en España y Brasil.
  15. Thulio Pereira Dias Gomes, Vânia Lisbôa da Silveira Guedes, Maria José Veloso da Costa Santos. Interferências dos contextos de produção e de uso na análise documentária de charge.
  16. Antonio J. Gómez-Núñez, Benjamín Vargas-Quesada, Teresa Muñoz-Écija, Félix de Moya Anegón. Visualización y análisis de la estructura de la base de datos Scopus.
  17. Vânia Lisbôa da Silveira Guedes, Maria de Fátima Sousa de Oliveira Barbosa, Maria José Veloso Da Costa Santos. Investigação da regularidade e produtividade de nominalizações deverbais em cartas científicas em língua portuguesa.
  18. José Augusto Chaves Guimarães, Daniela de Oliveira Matos, Juan Carlos Fernández-Molina, Jéssica de Araújo Lopes. Bases teóricas da análise documental: uma análise de domínio a partir das percepções das comunidades científicas do Brasil e da Espanha.
  19. Nair Yumiko Kobashi. O campo da organização da informação e do conhecimento: análise da produção intelectual publicada em anais e periódicos brasileiros de Ciência da informação (2000-2010).
  20. Vânia Mara Alves Lima, Cibele Araújo Camargo Marques dos Santos, Mechely Jabala Mamede Vogel. A teoria do campo semântico no desenvolvimiento de vocabulários estruturados para a web semântica.
  21. Elaine de Oliveira Lucas, Marilda Lopes Ginez de Lara, José Antonio Moreiro González. Abordagem da linguagem na produçao científica do campo da organização do conhecimento (KO).
  22. Benildes Coura Moreira dos Santos Maculan, Gercina ângela Borém de Oliveira Lima. Modelagem conceitual: os princípios de Ranganathan aplicados na interface de busca de uma biblioteca digital de documentos acadêmicos.
  23. Carlos H. Marcondes. Documentos: sua relação com informação e conhecimento. Fundamentos, modelos e métodos para a organização e prepresentação da informação.
  24. Maria Beatriz Marques. A avaliação dos outcomes dos sistemas de organização e representação da informação.
  25. Daniel Martínez-Ávila, Rosa San Segundo, José Augusto Chaves Guimarães. Fundamentos y continuidad de modelos de clasificaciones alternativas a la clasificación decimal de Dewey para la organización de la información en las bibliotecas.
  26. Gracy Kelli Martins, João Batista Ernesto de Moraes. Sistematização de conteúdos em organização e representação do conhecimento: um estudo nos periódicos de Ciência da informação no Brasil.
  27. Maria Aparecida Moura. Formações discursivas emergentes, folksonomia e espaçps sociais de informação semântica (SSIS): as contribuições da teoria dos níveis integrativos nos estudos do Classification Reseach Group (CRG).
  28. Eduardo Ismael Murguia, Rodrigo de Sales. Práticas discursivas na organização do conhecimento: Otlet, Bliss e ISKO.
  29. H. Peter Ohly. Kowledge organization and ISKO: Some considerations for its development.
  30. Henry Poncio Cruz de Oliveira, Silvana Aparecida Borsetti Gregório VIdotti. O ensino de arquitetura da informação e organização/representação da informação digital: uma análise curricular dos cursos de Biblioteconomia do Brasil.
  31. Leandra Pereira de Oliveira, Vera Lucia Doyle Louzada de mattos Dodebei. Análise de domínio em agricultura: o uso conjunto da garantia literária (a lavoura) e do consenso entre especialistas (esquema de classificação AGRIS/CARIS) como princípios para a Organização do Conhecimento.
  32. Virginia Bentes Pinto, Camila Regina de Oliveira Rabelo, Igor Peixoto Torres Girão. O padrão snomed-ct como linguagem para a organização e representação da informação em prontuários do paciente.
  33. Fernanda Ribeiro. O suo da classificação nos arquivos como instrumento de organização, representação e recuperação da informação.
  34. Gustavo Silva Saldanha. Filosofia da linguagem e organização do conhecimento nos anos 1930: a pragmática em Wittgenstein e em Ranganathan.
  35. Rodrigo de Sales, José Augusto Chaves Guimarães. Julius Otto Kaiser na organização da informação: contribuções para classificação, catalogação e indexação de assuntos.
  36. Clarissa Schmidt, Johanna W. Smit. Organização da informação e arquivos: diferentes perspectivas informacionais em torno do documento de arquivo.
  37. Rafael Aparecido Moron Semidão, Carlos Cândido de Almeida, Walter Moreira. Diretrizes para análise conceitual: as perspectivas de Hjorland, Dahlberg e Lakoff.
  38. Ana Paula da Silva, Cibele Araújo Camargo Marques dos Santos. A Aplicação do sistema de classificação decimal de Dewey para obras literárias.
  39. Naira Christofoletti Silveira, Maria de Fátima Gonçalves Moreira Tálamo. Aspectos culturais na representação descritiva da autoria: análise normativa.
  40. Ana Carolina Simionato, Plácida Lepoldina Ventura Amorim da Costa Santos. A representação da imagem digital: os metadatos descritivos.
  41. Jóice Cleide Cardoso Ennes de Souza, Rosali Fernandez de Souza. Abordagem teórica conceitual de representação de fotografias em bancos de imagens, para uso na publicidade.
  42. Natália Bolfarini Tognoli. A origem do método diplomático como subsídio à organização da informação arquivística.
  43. Carlai Zapata Rincón, Lilia M. Ferrer Morillo. Glosario de innovación: uma discussão a partir das obras de diplomática. Una perspectiva terminológica.

Organização da informação para gestão do conhecimento

  1. María del Carmen Agustín Lacruz, Mariangela Spotti Lopes Fujita, Ana Lúcia Terra. Indizar, clasificar y organizar las colecciones en las bibliotecas escolares: herramientas en lengua española y portuguesa.
  2. Marisa Pereira Aldeias, António Lucas Soares. Revisitando o mapeamento de competências: o caso das instituições académicas.
  3. Maria Almeida, António Lucas Soares. Knowledge organization and organizational learning: The case of project based organizations.
  4. Eliane Pawlowski de Oliveira Araujo, Cláudio Paixão Anastácio de Paula. Subjetividade, informação e tomada de decisão organizacional: uso das dimensões simbólicas e afetivas na compreensão da dinãmica decisória.
  5. Jorge Caldera-Serrano. La descripción de imagen en movimiento para televisión en el nuevo contexto digital.
  6. María-José Esteban. La descripción de material audiovisual en el Instituto Británico del Cine.
  7. Sérgio Maravilhas. A aplicação de novos conhecimentos para a sustentabilidade com base na informação de patentes.
  8. Dulce Amélia de Brito Neves, Maria Isabel de Jesus Sousa Barreira, Julianne Teixeira e Silva, Rosale de Mattos Souza. Representação da informação en arquivística: busca por uma consolidação terminológica.
  9. Brasilina Passarelli, Francisco Carlos Paletta, Alan César Belo Angeluci, Antonio Hélio Junqueira. Gestão do conhecimento, criatividade e ética no acesso e uso da informação.
  10. Cláudio Paixão Anastácio de Paula. Contribuições oferecidas pela infestigação das dimensões simbólicas e afetivas do uso da informação para os estudos de usuários e para a gestão do conhecimento: uma análise das comunicações entre professores de uma instituição de ensino superior pública brasileira.
  11. Blanca Rodríguez Bravo, Críspulo Travieso Rodríguez. Catálogos de nueva generación en las bibliotecas universitarias españolas: una primera exploración.
  12. Maria da Graça Simões, Maria Manuel Borges, M. Cristina V. de Freitas, Carla Ferreira. O resumo estruturado como recurso na disseminação da produção científica na área da saúde.
  13. Pablo Soledade, Zeny Duarte. Os arquivos de instituições de saúde: informação para gestão do conhecimento?
  14. Aida Varela Varela, Marilene Lobo Abreu Barbosa. Organização da informação para gestão do conhecimento: organização e disseminação da informação numa dimensão cognitiva.

Normalização e interoperabilidade para o acesso à informação

  1. Agnes Hajdu Barat. Knowledge organization is an essential part of KM lifecycle related to open access repositories.
  2. Agnes Hajdu Barat. Theory and practice of concordance between different editions of UDC.
  3. Maria Cleide Rodrigues Bernardino, Francisca Pereir dos Santos, Ria Lemaire. Organização e controle da informação: descrição bibliográfica padronizada para os folhetos de cordel no Brasil.
  4. Cristina Faba-Pérez, Laura Caballero-Cortés, Isabel Sanz-Caballero. Normalización de modelos para el acceso a la información enfocados al usuario y a las webs de archivos.
  5. Gracielle Mendonça Rodrigues Gomes, Wellington Marçal de Carvalho. O tratamento do documento arquivístico digital.
  6. Jacqueline Pawlowski Oliveira, Mauricio Barcellos Almeida, Erika Leite Quintela. Uma visão geral sobre fontes de informação em saúde.
  7. Gabriela Previdello Orth, Marilda Lopes Ginez de Lara. Organização do conhecimento nas artes digitais.
  8. Juan-Antonio Pastor-Sánchez, Francisco-Javier Martínez-Méndez, Rosana López-Carreño, José-Vicente Rodríguez-Muñoz. Uneskos. Publicación como Linked Open Data de la Nomenclatura Internacional de Ciencia y Tecnología y del Tesauro Unesco.
  9. Fernanda Pereira, Gercina Ângela Borém Lima. Usabilidade em bibliotecas digitais: abordagem empírica e analítica.
  10. Cecilia Rozemblum, Carolina Unzurrunzaga. La edición en instituciones académicas: normalización e interoperabilidad para favorecer el acceso y la visibilidad de la información publicada en revistas científicas.
  11. Eliezer Pires da Silva, Evelyn Goyannes dill Orrico. A normalização da descrição arquivística e a organização do conhecimento.
  12. José Ignacio Vidal Liy, Luis Rodríguez Yunta, Rosario de Andrés Verdú. Representación del vocabulario de indización en humanidades con un gestor de tesauros: la experiencia del léxico de las bases de datos ISOC en TemaTres.

Partilhar informação e construir conhecimento nas comunidades virtuais

  1. Virgínia Bárbara de Aguiar Alves. A influência do open access nas comunidades acadêmicas da área de biblioteconomia no nordeste do Brasil.
  2. Ronaldo Ferreira de Araúmo, Bruno Felipe Melo Silva, Francisca Rosaline L. Mota. Compartilhamento de vídeos sobre informação em saúde: análise da representatividade da dengue no Youtube.
  3. Sónia Ferreira, Ana Veloso, Óscar Mealha. Sociabilidade online e os participantes seniores.
  4. Paula Regina Ventura Amorim Gonçalez, Maria José Vicentini Jorente. Disseminação da informação nos websites das instituições de patrimônio cultural.
  5. Lucirene Andréa Catini Lanzi, Silvana Aparecida Borsetti Gregorio Vidotti, Edberto Ferneda. Bibliotecas escolares dinamizadas pelo uso das tecnologias de informação e comunicação.
  6. Nuno MoutinhoPedro Leite. Sharing information in a virtual community of crowdfunding: The case of Kickstarter.
  7. Jacqueline Pawlowski Oliveira, Edison José Corrêa Edison, Maria Rizoneide Negreiros Araújo. A biblioteca virtual como instrumento de educação médica.
  8. Louise Anunciação Fonseca de Oliveira, Maria Teresa Navarro de Britto Matos. O uso das ferramentas web 2.0 nas instituições arquivísticas nacionais de tradição ibérica: uma reflexão sobre a cultura participativa.
  9. André Pequeno dos Santos, Marco Antonio Almeida. Políticas informacionais e culturais: um caminho em busca do livre acceso aos recursos e conteúdos informacionais, científicos e culturais na internet.
  10. Eliete Correia dos Santos, Francinete Fernandes de Sousa. A informação acadêmica em edublogs: tensão dialógica e (multi)literacia.
  11. Célia Soares, Ana Veloso, Óscar Mealha. Construção de comunidades de partilha para utilizadores seniores.
  12. Ana Lúcia Terre, Georgina Araceli Torres Vargas. Projeto de uma biblioteca digital conjunta entre o México e Portugal: uma ponte para apoiar a investigação e o ensino em biblioteconomia e áreas afins.
  13. Jesús Tramullas, Piedad Garrido, Ana I. Sánchez-Casabón. Funcionalidades de clasificación en sistemas de gestión de contenidos: evaluación de prestaciones.
  14. Esther-Juliana Vargas-Arbeláez. Ejercicios de gobernanza en comunidades académicas virtuales. Indagaciones conceptuales sobre las dinámicas digitales de socialización del conocimiento.

Informação local e organização global: interação e estratégias

  1. Maria Cleide Rodrigues Bernardino, Aurora Cuevas Cerveró, Emir José Suaiden. Construção social de um território local de atuação para a biblioteca pública: estratégias e políticas.
  2. Henriette Ferreira Gomes, Aida Varela Varela. A organização do conhecimento para o acceso universal: as contribuições de Otlet, Bradford, Ranganathan, Dahlberg e Lancaster.
  3. Carlos Henrique Juvêncio, Georgete Medleg Rodrigues. O mundaneum no Brasil. O Serviço de Bibliographia e Documentação da Biblitoeca Nacional e seu papel na implementação de uma rede de informações científicas.
  4. Marielle Barros de Moraes, Marco Antônio de Almeida. Cultura, globalização e tecnologia. A mediação nos currículos dos cursos de ciências da informação no Brasil e na Ibero-América.

Igualdade e diversidade em organização do conhecimento

  1. Mario Barité, Stephanie Colombo. Garantía cultural y sesgo positivo: aproximación teórico-metodológica.
  2. Jaqueline Santos Barradas, Solange Francisca Mazzaroto, Clóvis Ricardo Montenegro de Lima. Interaçoes comunicacionais e aprendizagem nas organizações complexas.
  3. Mona Cleide Quirino da Silva Farias, Carlos Cândido de Almeida. Contribuições da semiótica da cultura para a organização do conhecimento.